Sobre o Blog...

Encontro poético em que inexiste a cronologia dos poemas. Pensamos em deixar registrada uma obra que reúna qualidades individuais sob um mesmo timbre, nossa marca entendida lado a lado. Registro de luz em olhares gêmeos fecundados na sementeira do verso... Quatro mãos, uma Poesia, almas em parceria.
Miguel- & Karinna*

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Inter-flor - Baunilha*
















INTER-FLOR


As muitas curvas desejosas
Assento que meus olhos veem
Cachos de frutas saborosas
Essências etéreas também


Gênio das mulheres dengosas
Dessas cujos perfumes creem
Se vestem peles vaporosas
São elixires do meu bem


Em seu corpo desponta o sonho
Que olhar algum jamais traduz
É ali que vive o que transponho
E que bem sei aonde luz


No paladar de tanta espera
Reside a fome de uma fera

Miguel-



Baunilha*


Em teu corpo luas de mil esferas
Em teus braços lonjuras tão vivas que ardem
Em ti me aporto teso do rico tempo
Lábios de estrelas no firmamento

Nada de ti me é indiferente
Feituras da mesma lira crescente
Como gêmeos paladares

Levita-se o instante sem passado
Em cada ato de entrega
Pagãos sentidos, sentimentos sagrados

E na loucura que queimamos
No espasmo mudo dos meus beijos na tua nuca
A alegria da dor fendida na carne, depura-me

E em cada gemido soletrado
A cada riso na lágrima incontida
-se chora de alegria-
Bendigo-te e colho-te em mim suavidade

-sumo de vida, perfume de baunilha-

Karinna*

Nenhum comentário: