Sobre o Blog...

Encontro poético em que inexiste a cronologia dos poemas. Pensamos em deixar registrada uma obra que reúna qualidades individuais sob um mesmo timbre, nossa marca entendida lado a lado. Registro de luz em olhares gêmeos fecundados na sementeira do verso... Quatro mãos, uma Poesia, almas em parceria.
Miguel- & Karinna*

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Pôr do Sol - Verniz Avermelhado



















Pôr do Sol

Que tudo ousa
Nos dias do sonhar
Como divagam
Princesas da fantasia
Ânsias se diluem
E antes de possuí-las
Vejo-as cerradas

Quem sou me ignora
Cenário em mutação
Por si pertinaz somente
Como a montanha
Contempla feliz
Sobrevivente o mar
A todo instante

Miguel Eduardo



Verniz Avermelhado*

Esquecido de voar
A inventar asas
Para alcançar Sol
Abrasadas as rimas
O cerne da boca - súplica
As rosas que não ousas
Na tarde que cabe na noite transgressora

-sinto a incandescência de todas coisas a dizer ainda-

Estou suspenso
Recolho adagas
Ferindo a retina o dom
Verniz avermelhado
A natureza rubra-um quadro
Crepuscular aceso nos dedos
Em acenos os tão meus segredos

Karinna*

Nenhum comentário: