Sobre o Blog...

Encontro poético em que inexiste a cronologia dos poemas. Pensamos em deixar registrada uma obra que reúna qualidades individuais sob um mesmo timbre, nossa marca entendida lado a lado. Registro de luz em olhares gêmeos fecundados na sementeira do verso... Quatro mãos, uma Poesia, almas em parceria.
Miguel- & Karinna*

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Verossímil* Véu-


Verossímil* Véu

Como verbo primeiro move-se
Fruto de tudo atiça
Uma elipse ergue-se
Vórtice e dono compasso
Luxo e evasão em vez da lira

-rosa e pouso
face em rubro-

Arranca-me das estrelas por mais alvas
Toma-me nas colinas que sejam
Onde desço sede e fome
E dócil, a guardiã em ligeireza
Reclina-se ante o altar

-aninha-te na fortaleza aberta
onde minam talentos-

Palácio de cetim capaz de governar
A gruta, a pretensão
Tremem as paredes, tempo e trabalho
Implosão do universo em pedestal
Exército silencioso enfim
Verossímil a candeia começa
O norte esperançoso, a empresa

-a verdade que procuras no túnel de fogo
nada escassa-

Karinna* & Miguel-

Nenhum comentário: