Sobre o Blog...

Encontro poético em que inexiste a cronologia dos poemas. Pensamos em deixar registrada uma obra que reúna qualidades individuais sob um mesmo timbre, nossa marca entendida lado a lado. Registro de luz em olhares gêmeos fecundados na sementeira do verso... Quatro mãos, uma Poesia, almas em parceria.
Miguel- & Karinna*

sexta-feira, 2 de abril de 2010

FARO DO INSTINTO EM FLOR



















FARO DO INSTINTO EM FLOR

Nesse outono Despertar encanto
Em que a luz deixa Forma e tributo
Súbitas pegadas A pele num crescendo de arrepio
Ao altar Por que melhor o rumo me encaminhe
Viajantes colinas E se rompa à resistência oferecida
Ilimitado fulgor Quando abaixo em teu semblante
De flor Tributo à beleza, aptidão
Festa pagã Crescendo vontade devagar
Teus sibilantes segredos Vier ao instigante mar salgado.
Cadeias de dunas são Que na mistura das divinas sensações
Promessa viva Brotar numa pedrinha de rubi
Na fimbria A expectativa do furor que se anuncie
Nos ombros espalmada Para alcançar-me rude
A morte Na posição em que a libido se convença
Em plena ressurreição De que o mundo é mundo.

Karinna*(dueto) & Miguel (raiz)

EM FLOR

Despertar encanto
Forma e tributo
A pele num crescendo de arrepio
Por que melhor o rumo me encaminhe
E se rompa à resistência oferecida
Quando abaixo em teu semblante
Tributo à beleza, aptidão
Crescendo vontade devagar
Vier ao instigante mar salgado
Que na mistura das divinas sensações
Brotar numa pedrinha de rubi
A expectativa do furor que se anuncie
Para alcançar-me rude
Na posição em que a libido se convença
De que o mundo é mundo

Miguel-


Faro do Instinto*

Nesse outono
Em que a luz deixa
Súbitas pegadas
Ao altar
Viajantes colinas
Ilimitado fulgor
De flor.
Festa pagã
Teus sibilantes segredos
Cadeia de dunas são
Promessa viva
Na fímbria
Nos ombros espalmada
A morte
Em plena ressurreição.

Karinna*

Nenhum comentário: