Sobre o Blog...

Encontro poético em que inexiste a cronologia dos poemas. Pensamos em deixar registrada uma obra que reúna qualidades individuais sob um mesmo timbre, nossa marca entendida lado a lado. Registro de luz em olhares gêmeos fecundados na sementeira do verso... Quatro mãos, uma Poesia, almas em parceria.
Miguel- & Karinna*

sexta-feira, 16 de abril de 2010





















SEGUINTE

Vira
Podes não fazê-lo
Mas a intimidade do pensamento
Essa, não conjugarás
Que o estudo de ti será inconcluso
Da metade do livro que faltou
Aos olhos ávidos por decorar
Letra a letra, corpo e alma
Do começo ao fim e ao contrário
O amor, a sensação, o riso
De um soluço aflito
E toda a emoção fecunda
Própria ao dueto de improviso
Às reverências que sempre faço
E desconhecerás o quê do místico
Que há no secreto desse teu ar
E que contemplo de um tal jeito
Escancarado e às escuras
Tão belo mundo indefinido para mim
Assim agora tão faminto
Dos meus sonhos e de ti
Completamente

Miguel Eduardo Gonçalves

*** *** ***

SEGUINTE

Vira pássaro selvagem
Podes não fazê-lo num instante inteiro
Mas a intimidade do pensamento nas madeixas
Essa, não conjugarás em frases sonolentas
Que o estudo de ti será inconcluso cheirando a beijo
Da metade do livro que faltou num tórrido pedido crespo
Aos olhos ávidos por decorar bélicos parágrafos
Letra a letra, corpo e alma pontuando a luz partilhada
Do começo ao fim e ao contrário benção dessa graça
O amor, a sensação, o riso no altar da escrita
De um soluço aflito corpo em ode recém nascida
E toda a emoção fecunda como de vida um choro
Própria ao dueto de improviso na liga que solidifica-nos
Às reverências que sempre faço no bosque que tu acenas asas
E desconhecerás o quê do místico na penugem arrepiada
Que há no secreto desse teu ar divindade ônix
E que contemplo de um tal jeito pulsante e destemido
Escancarado e às escuras o segredo do enlevo
Tão belo mundo indefinido para mim amante
Assim agora tão faminto um olhar passeio
Dos meus sonhos e de ti alçando vôos paraíso
Completamente somos alma e desejo

Miguel Eduardo Gonçalves & Karinna*


*** *** ***

*
Enfim*

Pássaro selvagem
Num instante inteiro
Nas madeixas
Em frases sonolentas
Cheirando a beijo
Num tórrido pedido crespo
Bélicos parágrafos
Pontuando a luz partilhada
Benção dessa graça
No altar da escrita
Corpo em ode recém nascida
Como de vida um choro
Na liga que solidifica-nos
No bosque que tu acenas asas
Na penugem arrepiada
Divindade ônix
Pulsante e destemido
O segredo do enlevo
Amante
Um olhar passeio
Alçando vôos paraíso
Somos alma e desejo

Karinna*

4 comentários:

JE disse...

No altar da sua escrita, menina, venho lhe pedir a benção. Com meus mil olhares passeio com o seu apenas um olhar que passeia por infinitos lugares que não consigo alçar voos. Obrigado pela visita, Karinna! Tbém vou seguir você.

Sylvia Rosa disse...

Prazer ter folheado esta página, recheada de deliosos sabores unificados em letras tão bem conjugadas... Ainda que exposto tanto sentimento, continua omisso no pensamento, os mais intrínsecos desejos de cada um... pensamento terra que só a gt pisa, e mais ninguém, e nao podemos trair a nós mesmos.
To lhes seguindo. Abraços!

jefhcardoso disse...

Oi. Estava a passear por nossa blogosfera sem fim, quando, ao encontrar o bom Miguel Eduardo, eu acabei vindo ter aqui; e que deliciosa surpresa. Gostei muito desta proposta e dessa mensagem que diz ser infinito o poema, infinita a proposta do blog. Incrível isso! Parabéns a vocês, ao Eduardo e a você, Karinna!

Abraço do Jefhcardoso

Karinna* disse...

*Nesse encontro poético, cada vez que leio o exercício todo e o casamento das nossas escritas, arrepio-me. É único esse encontro.
Obrigado pela parceria, obrigado por me proporcionar esses momentos.
BjM-
K*