Sobre o Blog...

Encontro poético em que inexiste a cronologia dos poemas. Pensamos em deixar registrada uma obra que reúna qualidades individuais sob um mesmo timbre, nossa marca entendida lado a lado. Registro de luz em olhares gêmeos fecundados na sementeira do verso... Quatro mãos, uma Poesia, almas em parceria.
Miguel- & Karinna*

sábado, 22 de janeiro de 2011

AO MAR, NOITE IMENSA- Traje de Gala*


















AO MAR, NOITE IMENSA- Traje de Gala*

Nada que se possa escolher
Ou abandonar
Fato imponente da solidão
Rio absorto, mas decifrável
Simplesmente é
Como desmedido olhar...
Todas as distâncias inexistem
Anulam-se em repentino riso
Leve sugestão...
Palavras intocadas
Pedaço de cor verídica
Entanto
Essa perfeição do mundo
Que até nos mata
Inútil querer mudá-la
Somos indispensáveis!

Miguel-


AO MAR, NOITE IMENSA- Traje de Gala*
 
Nada que se possa escolher tempo é curto
Ou abandonar o que se deglute de um sonho
Fato imponente da solidão própria grafia
Rio absorto, mas decifrável no suntuoso corpo
Simplesmente é poema
Como desmedido olhar...sem amarras, sem porto.
Todas as distâncias inexistem nem paralelos
Anulam-se em repentino riso nem meridianos
Leve sugestão...apenas real, marulhos de um acalanto.
Palavras intocadas sem traços frouxos
Pedaço de cor verídica nuance do horizonte
Entanto
Essa perfeição do mundo ciclo louco
Que até nos mata num céu de mar maroto
Inútil querer mudá-la -estrela perfeita-
Somos indispensáveis! Noite de gala, prazer e assombro!

Miguel- & Karinna*
 
Traje de Gala*

tempo curto
o que se deglute de um sonho
própria grafia
no suntuoso corpo
é poema
sem amarras, sem porto.
nem paralelos
nem meridianos
apenas real, marulhos de um acalanto.
sem traços frouxos
nuance de horizonte
Entanto
ciclo louco
num céu de mar maroto
-estrela perfeita-
Noite de gala, prazer e assombro!

Karinna*

Nenhum comentário: