Sobre o Blog...

Encontro poético em que inexiste a cronologia dos poemas. Pensamos em deixar registrada uma obra que reúna qualidades individuais sob um mesmo timbre, nossa marca entendida lado a lado. Registro de luz em olhares gêmeos fecundados na sementeira do verso... Quatro mãos, uma Poesia, almas em parceria.
Miguel- & Karinna*

domingo, 7 de dezembro de 2014

BALÉ- FATAL*

 
 
 
BALÉ-
 
 Em piruetas
Pequenos pés
Carícias badalam.

Vaporosas penugens...
Elevam o tom dos aplausos
Como soa na plateia a ebulição!
 
Estado de espírito
Que teima, no escapar da sedução
Maga, como a força da beleza de uma flor
 
 
-*-*-*-*-*-*-
 
BALÉ- FATAL*
 
Em piruetas, emaranhada,
Pequenos pés, em teus fios.
Carícias badalam. Vibrações modulam
-pernoitam apelos e arrepios-
 

Vaporosas penugens... mãos bailarinas
Elevam o tom dos aplausos, a luz no tablado.
Como soa na plateia a ebulição! Pulsar de dentro!
-coreografia passional e a solidão termina-
 
Estado de espírito marcamos o tempo
Que teima, no escapar da sedução, vapores dourados
Maga, como a força da beleza de uma flor, um jardim poema
-intima dança, tremulando significados-
 
 
-*-*-*-*-*-*-
 
FATAL*
 
emaranhada,
em teus fios.
Vibrações modulam
-pernoitam apelos e arrepios-
 
 
mãos bailarinas
a luz no tablado.
Pulsar de dentro!
-coreografia passional e a solidão termina-
 
marcamos o tempo
vapores dourados
um jardim poema
-intima dança, tremulando significados-
 
Karinna*
 
 
 
 
 

Um comentário:

Lápis Sem Ponta disse...

Vocês juntos são um poema inteiro!
Parabéns!
Bjão