Sobre o Blog...

Encontro poético em que inexiste a cronologia dos poemas. Pensamos em deixar registrada uma obra que reúna qualidades individuais sob um mesmo timbre, nossa marca entendida lado a lado. Registro de luz em olhares gêmeos fecundados na sementeira do verso... Quatro mãos, uma Poesia, almas em parceria.
Miguel- & Karinna*

sábado, 26 de março de 2016

Sonolência* / A Solidão Me Pensa-

 
 
 
 
Sonolência* / A Solidão Me Pensa-
 
 
Madrugada desperta / e flui pelo gume do ímpeto,
lânguida, insinua-se no meu corpo / enquanto o coração é repouso
envolta em brumas noturnas e molhados serenos, / e a nos molhar de paixão,
lambe-me o peito, brinca com minhas pálpebras e segura-me num aperto / faço afagos
 
 
consinto...e nesse instante sinto-me em um despertar infindo / de orquestrar mormaços
no ritmo dos piscares das estrelas / no espelho raro do céu, 
busco o desatar das sensações que guardo de ti / ...tudo tão incomum
no meu íntimo / sem rumo, sem fim...
 
 
na calada madrugada de carícias frias, / encontra-nos a esperança e o sonho
aspiro o perfume alvo da lua / na tez da palavra não desferida
afofo a imensidão do travesseiro e, entre o abraço acetinado do lençol...percebo-me nua / rendição...
 
 
o despir das palavras tornou-me assim / uma só voz
despida e desperta / ao luar que dá febre,
prateada e dourada / enseada de desejos,
solitária... e sempre tua / inteiramente...
 
 
nas paredes do quarto todas as matizes das sombras dos passos / fazem da noite meu bem,
a cumplicidade dos carinhos / adoça meus lábios,
desenham amorosos corpos / em tempo de colheita
a fragrância exalada dos toques, são quadros róseos ...de desejos nacarados / em poros dilatados...
 
 
há no ar sereno da madrugada / a repetida rima
que num balé de brisa me acalenta, / para além da hora do crepúsculo
um convite para afundar-me em teus pensamentos / matar a fome
no levantar-me entre miragens / na linguagem do teu corpo...
 

 diviso nossas silhuetas amantes / no mar do teu olhar;
tatuadas no espelho / o frutificar de nossas vinhas.
são nuances mágicas de encontros de corpos ardentes...sem medos / estás entre meus dedos agora...
 
 
é assim que tua memória sempre me toma / como o toque das horas,
no veludo que acariciamos em beijos sem nomes / tenho tudo e também nada,
lábios em fúria, sem donos / só emoções...
 
 
quedo-me novamente no leito dos sonhos despertos / enquanto escrevo em gorjeios
no amassado lençol marcado ainda pelo abandono / e cheio de saudades,
teu cheiro envolve-me/
 sempre quando me deito...
te perco na realidade e acho-te no sonho / na palavra transpirada pelas sobras do tempo...
 
 
abraço-me com a tua ausência / como ao mistério que há na chuva...
em mim quer dormir a esperança / persistente
não há nenhum movimento meu que / a volúpia acalme
não seja recíproco ao teu pensamento / acariciante como castata,
enquanto os acordes noturnos despedem-se em sua dança / gemendo ais
meus olhos úmidos entregam-se ao precipício do sono e me perco / momento fugaz,
desejosa, nua e quente / porque te adoro
no frêmito das tão sonhadas lembranças. / ATRAÇÃO FATAL!
 
 
Karinna* / Miguel-